(62) 3282-2232 (62) 3282-1489 (62) 99367-3179 (Wpp - CLARO) (62) 98202-4246 (Wpp - TIM)

Cia da Abelha - Notícias

04 -22 DE MAIO - DIA DO APICULTOR. TEMOS O QUE COMEMORAR????




(Por Armindo Vieira Do Nascimento Junior,

apicultor e diretor da Cia da Abelha Ltda sediada em Goiânia/GO)
http://www.ciadaabelha.com.br/

Hoje 22 de Maio comemoramos nosso dia como profissionais da apicultura: criadores profissionais de abelhas cujo a missão é colher os laboriosos produtos das abelhas: O MEL, A PRÓPOLIS, O PÓLEN, A GELÉIA REAL, A CERA DE ABELHAS E A APITOXINA OU VENENO DE ABELHAS.

A Cadeia do Agronegócio Apícola cresce a incríveis 15% a.a.. É a atividade agropecuária que mais cresce no Brasil e a que mais se desenvolve alicerçada investimento inicial baixo,retorno rápido do mesmo, independência do animal em relação ao meio em que vive e ecologicamente correta dado as condições das alterações ambientais do planeta. O consumo de mel interno por parte da população cresce 4% a.a. e o mercado de exportação vive o seu melhor momento desde o período anterior ao embargo do mel pela comunidade européia em 2006. A própolis se firma cada vez mais no mercado asiático (mesmo com as oscilações de demanda x oferta), o pólen é o produto que silenciosamente é cada dia mais vendido ao consumidor final e a cera de abelhas sedimentou-se definitivamente como produto efetivamente procurado pelas marcas de cosméticos como Natura e Avon. O veneno de abelhas das nossas abelhas africanizadas volta a chamar a atenção do mercado internacional e o uso da apitoxina vem, mesmo que devagar sedimentando-se junto a profissionais da medicina alternativa e medicina chinesa como potente produto capaz de tratar as doenças degenerativas crônicas e agudas.

Entretanto os desafios ainda são muitos. O MAPA - Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento - continua ainda com sua míope política interventora junto ao setor, pressionando ainda para a aprovação do novo RIISPOA (Regulamento de Inspeção de produtos de Origem Animal) que se aprovado da maneira que está escrito prejudicará dezenas de milhares de apicultores dada ao processo de burocratização para venda do mel in natura. Os méis compostos com ervas medicinais já estão definitivamente sob tutela da ANVISA com única possibilidade de registro como MEDICAMENTO FITOTERÁPICO e o registro do Extrato de Própolis já está com um pé dentro da ANVISA para futuro registro como medicamento com tarja vermelha, classificado como antibiótico e sujeito a compra exclusivamente por receituário médico. Políticas intervencionistas dos atuais ocupantes do poder em Brasília que caso venham a ser consolidados transformarão a Cadeia de Apicultores do Agronegócio Apícola em meros fornecedores de matéria prima a preço de banana para os grandes laboratórios.

A organização do setor ainda continua sendo o grande gargalo da atividade. A regulamentação da profissão, surpreendentemente vetada pelo então presidente LULA, mesmo havendo passado pela Comissão de Constituição e Justiça do Congresso Nacional, câmara e Senado Federal constituiu-se na maior derrota da classe apícola dos últimos 15 anos para o setor dado a impossibilidade de regimentar com números realmente verdadeiros o tamanho da cadeia, o número real de apicultores para que assim pudessem ser estabelecidos as políticas de financiamento do setor para o seu crescimento real e sustentável. Para um presidente que se dizia a favor do trabalhador é inadmissível o veto o que vem confirmar que os atuais ocupantes de Brasília gostam mesmo é de dar o peixe já pescado ao povo e não a vara de pescar para que o mesmo corra atrás.

Recentemente a CBA elegeu um novo presidente: trata-se do Sr. Aragão, ex-presidente da Federação Sergipana de Apicultura, homem que conheço a 15 anos dentro do setor e que trata-se de um homem honesto, de reputação e caráter inquestionáveis e que se souber trazer para perto de si os líderes apícolas nacionais tem tudo para enfrentar de peito aberto os desafios já destacados acima em meu texto. Novos líderes regionais surgem como lideranças nacionais como o amigo apicultor e meliponicultor Gesimar Célio Dos Santos, presidente da associação de meliponicultores do estado do Rio que vem fazendo um belíssimo trabalho de divulgação do setor apícola e da meliponilcultura inclusive com defesa do setor em várias frentes políticas; e a tão esperada Federação Paulista de Apicultores que mesmo frente as dificuldades vem conseguindo articular o setor apícola no mais rico estado da federação.

Entretanto temos o que comemorar!!!! Mesmo a despeito de tantos "inimigos" do setor nossa atividade cresce a mercê dos mesmos e continuará crescendo. A China, grande produtor mundial de mel (produz em 1 ano a produção de 8 anos do Brasil inteiro) está comendo cada dia mais seu próprio mel dado o crescimento de sua economia e até 2020 preveêm-se que os chineses comerão todo o seu mel e pararão o processo de exportação que desequilibra o preço do mel no mercado internacional. Com isso o mundo espera muito do Brasil, que produz atualmente 50.000 toneladas de mel, mas que possui um potencial ainda inexplorado de produção de 360.000 toneladas anuais do produto o que o tornaria, no futuro, como grande fornecedor de mel in natura, único no planeta com características de mel orgânico no mundo, para toda a população do planeta.

ENFIM, PARABÉNS PARA TODOS NÓS APICULTORES E QUE POSSAMOS A CADA DIA ESTABELECER NOVOS PROCESSOS DE PRODUÇÃO APÍCOLA E NOVOS MERCADOS QUE CONSOLIDEM NOSSA ATIVIDADE COMO A ATIVIDADE AGROPECUÁRIA DO SÉCULO XXI, ÚNICA QUE PRODUZ RIQUEZA E RENDA ASSOCIADA A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE.